A ex-funcionária de uma lotérica de São Paulo e seu advogado foram condenados a pagar R$ 7.600 em um processo trabalhista. Metade do valor (R$ 3.800) é para pagar os honorários do advogado da lotérica. A outra metade é uma multa à União, porque a Justiça considerou que houve má-fé por parte da empregada. Eles podem recorrer.

A decisão, de janeiro, foi da juíza substituta Tatiana Arroyo, da 1ª Vara do Trabalho de São Paulo. Na sentença, a juíza afirmou que “a reclamante realiza diversos pedidos absurdos, sem qualquer respaldo documental nem prova oral em seu favor”.

A ex-funcionária da casa lotérica entrou com ação na Justiça em julho do ano passado, alegando extinção forçada do contrato de trabalho, horas extras, desvio de função, insalubridade e pagamento de salário por fora do holerite, entre outros. A juíza negou todos os pedidos da trabalhadora, até o direito à Justiça gratuita.

O advogado da trabalhadora foi condenado a dividir a conta por ter, segundo a juíza, colaborado “com a má-fé da autora, oferecendo conhecimento técnico para que perseguisse seus objetivos ilícitos”.

 

Fonte: UOL – Economia



Advocacia Pereira - 2015 © Todos os direitos reservados.